segunda-feira, 9 de maio de 2011

Maré

O mar profundo me machuca
Lá no fundo do peito
As ondas batendo
Lembram seus olhos
Suas lágrimas ao vento
O seu olhar de arrependimento
Que dói na mente
Que de repente
Tenta me envolver.
Seu jeito de amar
É de amargar
De detonar
Com o meu
Jeito de pensar

Ingrid Citolin Gonçalves

O Medo

A noite me contou
Que logo aconteceria algo
Muito triste e mortal
Exclamou a escuridão

O vento soprava
Muito mortal e malévolo
Para piorar minha notícia
Coitado de mim

O medo me adora
Sempre aparece em mim
Para contar notícias ruins
Que me apavoram

Andrei Marcelo da Rosa

A tempestade

Na tempestade eu vi
A chuva que descia e desviava...
Desviava e beijava o ar

A terra subia e revoava
O ar gelado gritava enfurecido
E de repente a janela se abre

As cores...o barulho...as luzes...
Tudo aconteceu tão rápido!!!
O mar levantou e abraçou a lua

Você deveria ter visto quando
Eu subi ao céu
E numa viagem pelo universo desapareci

Andressa Colombo Brando

A magia da tempestade

Eu estava dormindo,o rugido do leão me acordou
Você deveria ter escutado
Quando um raio passou ali
Clareou o céu,como uma luz florescente

Na tempestade eu vi raios
Pareciam estrelas brilhantes de magia
As cores iluminando o céu
E as nuvens pretas tapando como um véu

Laura Gedoz de Godolphim

A carta da chuva

A tempestade me mandou uma carta
Registrada como um beijou no céu
Poesias só para eu ler
Escritas para o tempo passar
Poesias para nunca esquecer
Rimas para sempre lembrar

Igor Augusto Salvatori