segunda-feira, 20 de junho de 2011

O mistério da vovó

Era um dia nublado, estava no centro da cidade quando, de repente, meu celular tocou. Era mamãe, ela queria que fosse buscar vovó.
Eu fui, mas não a encontrei. Estava desesperado!
Fui até um mafioso, ele colocou a arma em meu quadril e disse:
- Mãos ao alto!
- Mas o que eu fiz? – eu, apavorado, lhe disse.
- Nada, só queria ação!
Bom, tinha pedido por curiosidade. Passado o susto, continuei a procurar a vovó.
Eu nunca tinha visto ela ir tão longe!
Pela rua, encontrei o chapéu da vovó meio sujo de barro, fiquei apavorado.
Fui para casa e pedi a mamãe:
- Onde está a vovó?
- Ela se foi! – minha mãe logo disse entre lágrimas.
Fiquei muito triste.
Fui para fora refletir....
Não aquentei. Passaram-se dias e dias, semanas e semanas, meses e meses e nada...
Não queria mais pensar nisso, mas sofria muito!
Uma semana se passou e vovó voltou!
Voltou daquela viagem à praia!!!

Andressa Colombo Brando

sexta-feira, 17 de junho de 2011

O MISTÉRIO DA SALA 212

“A sala do fim também é a sala do inicio”



Era sexta-feira 13, às 15h12min do ano de 2007, quando se ouve um grito pavoroso saindo da sala 212 da Escola Professor Mauricio Vargas. Aquela era a sala da segunda série. Todos os professores e alunos correm em direção à porta da sala. Grudado na porta havia um bilhete escrito:

Sioped od ona Ed 9002 eu voltarei.

Ninguém do prédio entendia a mensagem. Entrando na sala, tudo o que foi encontrado foi uma bandana preta.

A direção da escola resolveu que o caso seria arquivado e fez todos os alunos e professores jurarem que não contariam para ninguém sobre o assunto.

Dois anos depois (2009), era novamente sexta-feira 13, tudo o que aconteceu em 2007 foi esquecido pela direção até que às 15h12min outro grito é ouvido da sala 212. Os professores e alunos saíram correndo das salas em direção a sala 212. Chegando lá, havia outro bilhete:

Eu disse que voltaria!

A diretora, Márcia Gasparelli ficou indignada e assustada com o ocorrido:

-Outra vez... Por quê?

-Essa sala é mal assombrada! –disse o professor Mario Coff.

A escola decidiu contratar Vinicius Landim, um renomado detetive da cidade.

Chegando a cena do “Crime”, o detetive analisa o local e encontra um bilhete escrito:

A sala do fim é também a sala do inicio.

-O que é isso? -Os alunos gritam em coro fino e suave.

- Ora, é um bilhete com uma frase misteriosa. -disse Vinicius.

Analisando mais a sala do medo (como foi apelidada), o “detetive” encontrou outro bilhete em cima da estante de livros:

O mistério esta só para começar, particular é o lugar onde se vive e aprende.

De repente, Márcia desmaiou no meio da sala. Vinicius corre para socorrê-la. De repente ela se mexe e coloca um bilhete nas mãos do “detetive”.

Nele estava escrito a intrigante mensagem:

A temporada de pesca COMEÇOU. Neste ano, quem conseguir pescar O peixe crystal, ganhará 100 mil reais. Quem ganhará? É um MISTÉRIO!

Obs. A PISTA Ronaldo Chagas foi interditada pelo SEGUINTE fator:

Começou a liga nacional de perguntas e resposta do programa isto É INCRIVEL.

MAIS informação ligue para 0909094233 ou fale com É incrível.

Também será observada A LUA DO PLANETA SATURNO, TITÃ pela primeira vez em publico.

Outro fator é a liga dos times de basquete. O primeiro jogo será o time LARANJA COM o time PRETO NO VERÃO, dia 23 de agosto DE SATURNO.

-O final ficou meio confuso- disse um professor.

-Hum... Já sei! As letras em maiúsculo reagrupadas formam a seguinte mensagem:

Começou o mistério. A pista seguinte é:

Mais incrível é a lua do planeta saturno, Titã, laranja com preto no verão de saturno.

-Que dia!- disse um aluno

- Já descobri- disse Vinicius, o “detetive”-a primeira pista significa escola particular e segunda significa outono lunar Saturniano.

-A primeira tem sentido, mas a segunda não tem-disse a diretora- Vamos procurar mais pistas.

Todos continuam a procura. De repente escrita na parede há uma mensagem:

FOI MONALISA QUEM SEQUESTROU OS...

-Acho que a pessoa que escreveu essa mensagem foi atacada por alguém antes de terminar a frase. Bom, vamos analisar a mensagem, há alguém aqui com o nome de Monalisa?

- Sim, eu me chamo Monalisa. Era uma professora nova na escola, ela havia chegado um dia antes do primeiro sequestro.

- Caso encerrado. Monalisa, você é a culpada de sequestrar os alunos da sala 212.

O silencio é absoluto, até que de repente entra uma turma de pessoas pela porta. Eram os alunos sequestrados.

-Como?- diz as professoras apavoradas.

-Eu explicarei. Há dois anos fizemos uma proposta à diretora para escolher alguns alunos em segredo para estudar na Escola de Verão Francisco Saturnis por dois anos. Então bolamos que encenaríamos um sequestro da turma 212 e deixaríamos o sequestro esquecido por dois anos. Mas antes de realizar o teatro, nós conversamos com os pais, que foram convidados para irem junto com os filhos. Dois anos depois, nós mandaríamos para trabalhar Monalisa, uma de nossas professoras. Aí, bolaríamos outro sequestro da mesma turma, só que desta vez seria contratado um detetive particular para investigar o desaparecimento. Então,espalhamos bilhetes com pistas verdadeiras e falsas para confundir e combinamos com a diretora para encenar um desmaio e me entregar um bilhete. Depois, era só escrever com tinta spray a mensagem condenando a professora.

-E para que fim foi feito este “teatro”?-pergunta um professor

-Divulgar e convidar os alunos para estudar e se divertir nas férias na Escola de Verão Francisco Saturnis.

-Enquanto os alunos “sequestrados”?

-Voltarão a estudar nesta escola.

E assim foi resolvido o caso da turma 212. O que se achava um sequestro de uma turma inteira era na verdade um teatro feito para divulgar uma escola.

Andrei Marcelo da Rosa

O vampiro da Transilvânia

Olá, meu nome é Marcos e sou um vampiro. Gosto de sangue. Tenho 2000 anos, moro na Transilvânia. O Meu estilo musical preferido é Rock and roll. Tenho um filho de 100 anos. Ele se chama Luan. Eu trabalho para a ADV (associação dos vampiros).

Às sete da manhã, eu estava tomando o sangue da manhã quando minha mãe, bruna chegou e falou:

-Meu filho, sua irmã sumiu!

-Como assim?-eu disse.

-Talvez alguém tenha entrado e a sequestrou.

Enquanto debatíamos o assunto, meu filho foi atender a porta. Quando abriu, um homem pálido, gordo e alto lhe entregou um bilhete. Depois de entregar o bilhete, apareceu uma neblina muito intensa, e depois de soltar uma gargalhada, o homem desapareceu entre a neblina.

Assustado, meu filho me entregou o bilhete que estava escrito a seguinte mensagem:

“Caro vampiro Marcos:

Eu sequestrei sua irmã e só liberto ela se você adivinhar os meus enigmas espalhados pela cidade. O primeiro enigma é o seguinte:

É onde o sol nasce quadrado e a muita vigilância. Boa sorte (você vai precisar)”.

Ass: senhor “A”

-O que será isso?-perguntou minha mãe.

Meu filho nem pensou muito e já deu a resposta:

-A cadeia!

-Claro!-eu falei-O sol nasce quadrado porque as janelas são quadradas e os guardas vigiam 24 horas.

Logo em seguida corremos até a prisão de Transilvânia. Quando chegamos, vimos um bilhete colado no muro. Nele estava escrito:

“Vejo que já adivinhou, bem, lá vai o último enigma:

No meio das árvores há roupas e calçados. Boa sorte”

Ass: Senhor “A”

-Esta está difícil-meu filho falou.

-Concordo meu filho.

Depois de pensarmos muito, eu adivinhei a charada:

-É a fábrica no meio da floresta.

Corremos até a fábrica e encontramos minha irmã desacordada. De repente vimos um vulto andando, era o bandido. Seu nome era Aderbal. Ele falou:

-Gosto de desafios. Vocês me impressionaram. Eu ia pedir uma quantia em dinheiro, mas vendo a sua disposição em encontrar sua irmã e resolver os meus enigmas, eu deixarei vocês irem.

Eu peguei minha irmã e a levamos para casa. Depois de meia hora ela acordou. Ela disse:

-O que aconteceu?

-Bem-eu falei-É uma história muito longa, mas mesmo assim eu lhe explicarei. Tudo começou...



Andrei Marcelo da Rosa